A educação informal para o teatro - Dida Pereira

ISBN 978-85-62883-01-9

Produto novo

Ecos da ação de entidades da sociedade civil de Pernambuco. Este trabalho estuda a prática do ensino informal de artes. Analisa a ação realizada, nesta área, por todos que fazem o Teatro Experimental desde 1963 até os dias atuais.

Mais detalhes

R$ 20,00

Mais informações

Teatro em Pernambuco: uma história para ser interiorizada

Este livro de Didha Pereira que tenho o contentamento de apresentar chega aos leitores num momento particularmente importante dos estudos sobre o teatro em Pernambuco. Se observarmos o que foi pesquisado, pensado e publicado nos últimos quarenta anos sobre a interpretação, dramaturgia, encenação e pedagogia teatral constataremos um vazio desalentador.

Com a chegada do século XXI percebemos, ainda que timidamente, o preenchimento deste vazio que nos dava a nítida impressão de que nossa história do teatro estava congelada na década de 196 0, sendo Joel Pontes e Hermilo Borba Filho os últimos estudiosos dessa área. Vale ressaltar que os livros Mamulengo: um povo em forma de bonecos, de Fernando Augusto Gonçalves dos Santos, Por um teatro do povo e da terra: Hermilo Borba Filho e o Teatro do Estudante de Pernambuco, de Luiz Maurício Carvalheira, Tirando a máscara, de Milton Baccarelli, e 20 atos de longos anos teatrais: a história da Federação de Teatro de Pernambuco – FETEAPE, de Romildo Moreira, são obras importantes, mas bem distintas do ponto de vista teórico-metodológico e com uma distância intervalar considerável de publicação e raríssima recepção crítica. Não quero dizer, com isso, que se tenha parado de estudar e produzir algum pensamento sobre o campo do teatro nas últimas décadas do século passado. Porém, as pesquisas e trabalhos deles resultantes ficaram restritos a monografias, dissertações e teses sem um alcance social mais amplo. Cito apenas um exemplo: o monumental estudo sobre o Teatro de Amadores de Pernambuco (TAP), de Antonio Edson Cadengue, que abarca sessenta anos de história do mais antigo grupo amador em atividade no Brasil, não chegou ao público em forma de livro, aumentando a lacuna referida.

A educação informal para o teatro, além de ampliar a produção editorial sobre teatro na região, reveste-se de especial atenção, pois rompe as fronteiras que envolvem as práticas artísticas do Recife, em busca das ações da sociedade civil de Pernambuco, mostrando que a história do ensino do teatro, aqui denominado informal, e do espetáculo no interior do estado exercem um papel de grande relevância para seus cidadãos e artistas.

Fruto de pesquisa acadêmica bem estruturada mas, sobretudo, envolvida com seu autor, testemunha e participante dos processos aqui averiguados, o trabalho centra-se na produção pedagógica e artística do Teatro Experimental de Arte (TEA), de Caruaru, desde 1963 até 2005, e na ação política da Federação de Teatro de Pernambuco (FETEAPE) que propiciou a difusão do ensino informal, a divulgação e circulação de espetáculos, a formação de grupos, a organização de mostras e festivais de teatro, notadamente entre as décadas de 197 0 e 2002.

Eis, portanto, mais do que justificativas para a leitura atenta desta obra, respeitando os limites dos seus propósitos. Que ela possa servir de ponto de partida para outros pesquisadores e estudiosos se debruçarem sobre grupos teatrais do interior, garimpando documentos, colhendo depoimentos, descobrindo e re-descobrindo textos teatrais, dramaturgos, atores, técnicos, encenadores, indo mais longe no tempo e no espaço para que possamos, a exemplo de Didha Pereira e tantos outros escritores que têm surgido ultimamente, escrever nossa história do teatro mais plural, mais aberta e mais crítica.

Nº de Páginas: 144
Categoria: Ciências Sociais e Linguística
Acabamento: Brochura
Papel do Livro: Offset 90g/m²

Comentários

Escrever uma avaliação

A educação informal para o teatro - Dida Pereira

A educação informal para o teatro - Dida Pereira

Ecos da ação de entidades da sociedade civil de Pernambuco. Este trabalho estuda a prática do ensino informal de artes. Analisa a ação realizada, nesta área, por todos que fazem o Teatro Experimental desde 1963 até os dias atuais.